Como as imobiliárias são afetadas com a LGPD?

Atualizado: Mai 21



A Lei Geral de Proteção de Dados já entrou em vigor, com um prazo para que as imobiliárias se adaptem á ela. O objetivo da lei é regulamentar a coleta, tratamento e armazenamento de dados pessoais de seus usuários, criando um padrão e um maior controle em todas as imobiliárias. Esse padrão criado pela lei, se encaixa no respeito ao modo de prosperar, controlar e manter os dados seguros de todos os inquilinos e proprietários. Mas por que a LGPD afeta imobiliárias? A resposta é simples! As empresas do ramo imobiliários, especialmente construtoras e imobiliárias, trabalham com os dados pessoais de seus clientes, ou seja, nome completo, documentos, endereço, bem como outras informações pessoais necessárias para comprar ou alugar um imóvel. E especialmente nesse ramo, acontece muitos compartilhamentos desses dados entre as construtoras, agências de imóveis, corretores. Por conta disso, a LGPD chegou para garantir esse proteção de dados.

As imobiliárias e construtoras tem um prazo de 18 meses, contados a partir de setembro de 2020, para implementarem a LGPD, caso isso não venha acontecer a ANPD (Autoridade Nacional de Proteção de Dados), que foi criada pela para ajuda-la na supervisão, aplicará as consequências necessárias que a sua imobiliária deverá sofrer para se adaptar na nova lei. Mas não pense que a lei só vá te prejudicar, muito pelo contrário, existem inúmeros benefícios que ela traz, sendo extremamente benéfico para sua agência de imóveis.


Benefícios e consequências


A LGPD traz uma série de benefícios para a sua imobiliária, ela mudará algumas práticas usadas por você, garantindo uma melhoria constante e a longo prazo para sua agência. E estes benefícios são inúmeros, como: passa uma maior confiança e credibilidade para os usuários, garantindo uma maior conexão com seu público-alvo, consequentemente ganhando destaque em relação á concorrência e fortalecendo também suas relações comerciais.

Caso ocorra algum vazamento das informações pessoais de seus clientes, a sua imobiliária sofrerá punições gravíssimas, que serão aplicadas pela Autoridade Nacional de Proteção de Dados. Dentre essas punições está o estabelecimento de uma multa mensal com o valor de 2% do faturamento anual da sua imobiliária com um agravante, essa multa não pode passar de R$ 50.000.000,00; além da perca desse dinheiro, sua empresa perderá também sua reputação, perdendo seus clientes para a concorrência. Pode acontecer também o bloqueio da utilização desses dados, e se for algo mais grave as autoridades necessárias pedirão a exclusão de todo o seu armazenamento.


Quais os dados que serão armazenados?


Os dados armazenados pela sua imobiliária na lei LGPD, são chamados de dados pessoais e dados sensíveis. Como você pode identifica-los? Bom , os dados pessoais são aqueles que mostram a identidade do usuário como por exemplo: Nome completo, CPF, RG, endereço; já os dados sensíveis são aquelas informações sensíveis do usuário como: raça, etnia, religião, filiação, partido político, orientação sexual, dados biométricos. Para a sua imobiliária utilizar esses dados, é o titular que deve autorizar. Essa autorização deve ser escrita, e deve ser clara e objetiva em relação há quais dados podem ser utilizados, e qual a finalidade desse armazenamento. Sua imobiliária só deve armazena-los depois desse consentimento, com a garantia de que o usuário possa revogar essa autorização quando ele bem quiser.

Vale destacar que é a sua imobiliária a responsavel de entender e executar todas as bases legais da lei. Sua agência pode contratar um especialista em LGPD para ajudar, auxiliar e supervisionar na execução da lei, mas qualquer erro que possa ocorrer, as consequências cairão sobre a empresa. E quem são esses profissionais em LGPD? Eles podem ser: consultores, advogados, agências in-house, ou a empresa Tutelas Soluções. Esses profissionais tem a especialização na lei, basta você contratar o que cabe melhor no seu investimento, visualizando também o tempo que vai demorar para a implementação estar completa.


Como aplicar a LGPD em imobiliárias?


Num primeiro momento, é importante analisar e providenciar métodos eficientes de controle de arquivos, investindo em segurança da informação, maximizar todos os processos e assim contratar um especialista em LGPD. É importante ter esse mapeamento do seu banco de dados, classificando e ampliando os níveis de segurança, levando em consideração SEMPRE o consentimento do usuário. Desta maneira, toda a sua equipe, todos os seus funcionários precisam estar sobre as novas medidas de segurança, esclarecendo todas as dúvidas que eles tenham sobre a LGPD, assim eles identificar um possível erro, te alertando evitando possíveis consequências.


Conclusão


Neste artigo trazemos as principais informações sobre o assunto de LGPD em imobiliárias. Está disponibilizado também uma série de artigos mais detalhado, para que você possa entender melhor sobre isso.

10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo