Saiba quais as adaptações que serão feitas pela LGPD em fintechs

Atualizado: Mai 19


Financial Tecnhology, ou Fintech, é usada para se referirem a startups, ou qualquer outra empresa, que desenvolva produtos financeiros. Mas para ser considerado fintech, essas empresas precisam ser totalmente digitais, sendo esse o seu maior diferencial dentre as outras empresas do ramo financeiro.

As fintechs tornam a atividade financeira para o consumidor, mais fácil, oferecendo as mais diversas soluções para solucionar seus problemas, como: cartão de crédito e débito, conta digital, empréstimos, seguros, entre outras soluções, tornando assim a vida do consumidor mais fácil, em relação a sua situação financeira. As fintechs permitem que seus clientes, movimentem todo seu financeiro através dos smartphones, sem precisar sair de casa, ou pegar filas gigantescas em agências e bancos físicos.


LGPD: Lei Geral de Proteção de Dados


Já existem leis, que asseguram a proteção de dados no setor financeiro, mas mesmo assim todas as empresas de produtos financeiros, e fintechs devem adapta-las para a LGPD. Uma das mudanças causadas pela LGPD, será a autorização dos usuários para que a sua fintech possa utilizar seus dados e de que o titular desses dados podem revogar a autorização do contrato quando eles bem quiserem. Além desse, existem outros procedimentos que serão adaptados, para que segundo a própria a lei "o usuário tenha pleno direito e total liberdade com seus dados".

A finalidade da lei, é assegurar que todos os dados dos usuários estão sendo usados corretamente, mantendo uma transparência entre empresa e cliente, em uma melhor fonte de comunicação entre ambos. Esses dados compartilhados devem ser apenas os essenciais, e dentro da lei as medidas de segurança são as mais seguras possível, sempre garantindo que os dados dos usuários estão protegidos.

Para ajudar, na adaptação das empresas fintechs, a LGPD criou a ANPD(Autoridade Nacional de Proteção de Dados), é esse órgão que supervisiona todo o trabalho que a sua fintech esta fazendo com a LGPD, alertando sobre possíveis falhas, e caso algum vazamento de informações, será a ANPD que adotará as consequências necessárias vistas por lei.


Benefícios e consequências


As fintechs precisam entender, que embora a LGPD seja uma nova lei com mais burocracia e por conta seja mais difícil de se adaptar a ela. A Lei Geral de Proteção de Dados, traz uma série de benefícios se aplicada corretamente, mas também caso seja vazado algum dado depois da implementação, a lei pode gerar uma série de consequências, por isso é muito importante que a fintech saiba tudo sobre a nova lei durante a adaptação, e a contratação de profissionais qualificados e que sejam especialistas em LGPD, não deve ser descartado. Entre os benefícios da nova lei está uma melhor organização na sua fintech, melhorando a sua produção, ganhando uma valorização na segurança cibernética, assim construindo uma relação mais transparente com seus clientes, consequentemente gerando uma melhor reputação para a sua fintech.

Mas, assim como os benefícios são muitos, também existem muitas consequências caso a implementação não seja feita de maneira correta. Uma das consequências é o pagamento de uma multa, onde sua fintech terá que pagar 2% do seu faturamento anual, até que todas as correções sejam feitas. Além do financeiro, sua fintech também perderá reputação, garantindo a fuga de clientes. E se o caso for muito grave, a ANPD pode bloquear e até mesmo excluir todos os dados armazenados, gerando mais uma consequência, onde sua fintech teria que começar tudo de novo.


Implementação LGPD


Existem alguns passos que devem ser levados em consideração para a implementação da LGPD. Mas antes de seguir os passos, a sua fintech deve contratar um profissional especializado em LGPD, para que ele possa ajudar na adaptação. Sua empresa deve analisar, o melhor portal de investimentos para a contratação desse profissional, levando em consideração o valor que será investido e comparando o tempo de implementação, com alguns profissionais a aplicação completa da lei pode chegar até em um ano, e em outros em menos de um mês, deste ponto basta você analisar qual o melhor caminho para sua fintech. Logo após a contratação do profissional, vocês devem se atentar aos passos dessa implementação como: organizar e analisar todos os dados, adaptar esses dados em LGPD fazendo ajustes quando necessário, elaborando uma politica de privacidade, entre outros.

Seus funcionários também devem receber um treinamento pela implementação da LGPD. Assim, eles saberão o que a empresa precisa, e saber quais os objetivos, benefícios e consequências, dessa maneira, seus próprios funcionários estarão atentos a qualquer erro que possa ser cometido, evitando consequências futuras.


Conclusão


Essas são as principais informações sobre a LGPD em fintechs. Sabendo sobre essas informações, já inicie a sua adaptação interna, analisando o seu banco de dados, e estudando sobre os profissionais que você queira contratar, para te ajudar na implementação.

Veja nossos artigos, contendo mais detalhes sobre essas informações e muito mais sobre fintech e LGPD. Acesse também o site da tutelas, para entender melhor nosso trabalho na Lei Geral de Proteção de Dados.

Posts recentes

Ver tudo